Secretarias apoiam projeto de doação de cestas básicas pela CUFA
Mais de 200 famílias em situação de vulnerabilidade social estão sendo beneficiadas
Publicado em: 21/07/2021 ás 15:13:00 Autor: Assessoria de Comunicação Fonte: Assessoria de Comunicação

Mais de 200 famílias já estão sendo beneficiadas com cestas básicas durante a pandemia da Covid-19 devido a situação de insegurança alimentar nos bairros, comunidades e aldeias indígenas de Peixoto de Azevedo.

Trata-se de um movimento da CUFA que tem o apoio da Vale do Rio Doce de combate à fome. A entrega dos alimentos como: arroz, feijão, açúcar, trigo, macarrão, café, óleo de soja, sal e outros estão sendo distribuídos na sede da instituição no Bairro Mãe de Deus.

As famílias cadastradas receberão as cestas básicas durante seis meses consecutivos. A logística de transporte das 200 cestas de alimentos de Cuiabá até Peixoto de Azevedo e distrito União do Norte foi feita pela Prefeitura Municipal através da Secretaria de Agricultura, que também mobilizou sua equipe multiprofissional para auxiliar a CUFA no ato de entre.

“Agradeço a Vale do Rio Doce que em meio à pandemia da Covid-19 presta este auxílio as famílias em vulnerabilidade social do nosso município, muitas delas enfrentam sérias dificuldades para se alimentar diariamente. É uma ajuda bem vinda e estamos aqui na linha de frente para fazer acontecer esta ação de solidariedade”, disse o Presidente da CUFA, Gerlan Melo.

Ele agradeceu a presteza e apoio incondicional do Secretário de Agricultura Alan Aires e de toda gestão pública municipal por sempre se apresentarem parceiros dos projetos, campanhas e atividades da CUFA junto a comunidade.

O Secretário Alan Aires parabenizou a iniciativa da Vale do Rio Doce e CUFA neste justo propósito de melhorar a vida e transformar o futuro das pessoas em vulnerabilidade social dos bairros, assentamentos rurais e das aldeias indígenas.

“É determinação do Prefeito Maurício Ferreira e da Primeira Dama Marisete Alberti Souza somar forças aos clubes de serviços, igrejas, associações, instituições filantrópicas e organizações governamentais e não governamentais no combate à fome agravada pela pandemia do novo coronavírus. Durante esses seis meses, as 200 famílias podem contar com a logística de transporte dos alimentos para que as mesmas tenham acesso as cestas básicas”, salientou o Secretário de Agricultura, Alan Aires.